planejamento financeiro pessoal

Planejamento financeiro pessoal: 6 passos para fazer!

Para ter uma vida de bubuia hoje e no futuro, é essencial se dedicar a fazer um planejamento financeiro pessoal.

Ainda que você não tenha uma grande familiaridade com os números, colocar as contas no papel ajuda a perceber onde o seu dinheiro está sendo gasto. Além disso, te auxilia a pensar em possibilidades de começar a poupar ou investir uma determinada quantia.

Como diz a sabedoria popular, lidar bem com o dinheiro não diz respeito a quanto você ganha, mas a quanto você gasta. Então é hora de reconhecer a sua situação financeira, traçar os seus objetivos e organizar o planejamento. Vamos lá!

O que é planejamento financeiro pessoal e qual a sua importância?

Planejar-se financeiramente significa definir as suas metas em relação ao seu dinheiro, percebendo, para isso, a sua situação atual.

É comum ouvirmos esse termo nas gestões de empresas, mas os benefícios de um bom plano financeiro na vida pessoal também são muitos. Ainda mais em tempos de crises econômicas e alta de preços, quando gastamos mais até sem perceber.

Já conheceu alguém que tinha um salário menor do que o seu e conseguia fazer mais coisas com essa quantia do que você com a sua? Não se trata de mágica, mas de organização financeira.

Por meio de atitudes simples, você também pode aprender a lidar melhor com o seu dinheiro, ter mais tranquilidade no seu dia a dia e garantir uma reserva para momentos de necessidade.

Como fazer um planejamento financeiro pessoal eficiente?

Tenha calma, pois as nossas dicas não incluem nada além de um pouco de tempo, observação dos seus gastos e algum lugar para fazer anotações. Você pode usar uma simples planilha de planejamento financeiro ou o velho caderninho, que estará sempre à mão.

1. Organize seu orçamento

O primeiro passo para ter o controle do seu dinheiro é saber quanto entra e quanto sai. Pode parecer o óbvio, mas acredite: muitas famílias e casais não sabem qual é a renda total da casa, o que impede que as pessoas possam, a longo prazo, comprar um bem de valor juntas, como uma casa.

Ao descobrir esses valores e definir qual é a renda mensal da família, é preciso começar a perceber onde o dinheiro está sendo gasto.

Um bom primeiro passo é anotar os gastos fixos, juntamente aos dias em que cada conta é paga, como:

Com essas anotações, você já tem um panorama de quanto gasta todos os meses de forma fixa. A partir daí, pode definir os outros gastos com o que restou, como:

Não se esqueça, ainda, de estipular um valor para emergências corriqueiras que surgem durante o mês, como medicamentos.

2. Entenda seu padrão de vida

Ao fazer essa organização, você consegue entender o seu padrão de vida — e fazer alterações, se for necessário.

É possível perceber, por exemplo, que os seus custos com alimentação fora de casa e roupas está bem mais alto do que o seu salário suporta atualmente. Então, é hora de rever os padrões e cortar o que não é essencial.

3. Comece a economizar o seu dinheiro

Aí você pergunta: mas eu tenho que tirar os momentos de lazer da minha vida? De jeito nenhum, mas é possível gastar de uma forma mais consciente. Em vez de levar a família em uma lanchonete, por exemplo, que tal fazer uma noite do hambúrguer e do kikão em casa, com dindim gourmet caseiro para a criançada de sobremesa?

As crianças não costumam se importar com o preço das coisas. Basta criatividade, diversão e momentos juntos. Com muita comida gostosa, é claro, para ninguém ficar brocado.

Outros pontos em que você pode economizar são a conta de celular, os pacotes de TV e as assinaturas de streaming. Esses são pequenos gastos que, juntos, somam uma grande quantia no final do mês.

4. Faça um planejamento de metas

Definir objetivos também é essencial em um planejamento financeiro pessoal. Afinal, saber para onde você está indo dá mais energia durante a caminhada, não é?

Converse com a sua família e defina metas de curto, médio e longo prazos. Por exemplo:

5. Comece a investir seu dinheiro

Investir dinheiro não precisa ser algo complexo, como acompanhar diariamente a Bolsa de Valores.

Hoje em dia existem bancos virtuais em que você pode rapidamente aplicar o seu dinheiro e deixá-lo rendendo mais do que a poupança. A retirada também é simples e imediata.

Outras modalidades, como a previdência privada e os fundos de investimento, também são simples, e há consultores especializados para ajudar. Vale a pena conhecer algumas opções.

6. Aprenda sobre organização financeira pessoal

Quanto mais você aprender, melhor será o seu planejamento, tanto em relação à organização das suas contas diárias quanto a opções de investimento.

Atualmente, é possível encontrar diversos cursos online gratuitos, por exemplo, que ensinam macetes interessantes. Também existem livros de educação financeira que podem mudar a sua forma de lidar com o dinheiro.

Como colocar o planejamento financeiro em prática?

Como você pôde perceber, as nossas dicas não são complexas, mas é preciso atenção e alguns minutos de dedicação diária para conseguir organizar o seu dinheiro.

Para começar, anote todos os seus pequenos gastos por um período de 1 a 3 meses. Também converse com a sua família, tanto sobre os ganhos quanto sobre os gastos. Isso porque todos precisam saber da realidade financeira da casa para ajudar a economizar e aprender a poupar.

Por fim, nunca deixe de aprender sobre planejamento financeiro pessoal. As finanças são como qualquer outro assunto: quanto mais conhecimento você tiver, menos complicado fica. E os bons resultados aparecem.

Você gostou deste conteúdo? Vai gostar ainda mais das nossas ofertas! Confira nossos produtos e economize dinheiro nas suas compras. É barato que só!

Cadastre-se agora para receber nossos conteúdos exclusivos e gratuitos por email!